Dominando o cronograma da sua obra

Olá Construtor de Talento. Nesse artigo eu vou falar de um assunto que , muitos construtores, engenheiros e arquitetos, com experiência ou não, certamente já tiveram ou ainda tem certa dificuldade. Trata-se de dominar e cumprir o cronograma de uma obra.


Você já percebeu o tamanho de um cronograma de uma edificação simples, como por exemplo, uma residência? Quando falamos de edificações mais complexas, como edifícios, shoppings e supermercados, o cronograma pode ter facilmente mais de 500 linhas de serviços.


Dá pra notar o tamanho da dificuldade de gestores em se organizarem e manterem os serviços de acordo com os prazos pré-estabelecidos, não é?


Já pensou naquela fase de pico de um prédio, onde estão sendo executadas a estrutura, alvenaria, elétrica e hidráulica, revestimentos, etc.? Realmente não é uma tarefa fácil. Além disso, as tarefas citadas são só algumas dentre milhares de outros itens que vemos rotineiramente em alguns cronogramas.


Claro que estamos falando de cronogramas bem feitos, com planejamento, estudo e bom senso. Você nunca vai conseguir cumprir um cronograma mal feito, portanto, dedique algum tempo para fazê-lo ou conferi-lo, caso não seja você o responsável pela pré-determinação dos prazos das atividades da sua obra.


Um dos maiores desafios de manter um cronograma em dia, é cuidar para que uma tarefa que seja subsequente à outra, não atrapalhe o andamento da linha crítica. Linha crítica é eixo central de um cronograma, onde os serviços que estão inseridos naquela sequência, não podem de maneira nenhuma sofrer atrasos. Se por exemplo, a estrutura de uma obra sofrer um atraso, isso irá impactar na alvenaria, que irá impactar então em todos os outros serviços que dependem da finalização da alvenaria, como, revestimentos, hidráulicas, elétrica, pintura, etc.


Percebeu a importância desta organização? Isso porque nem mencionei outro assunto de extrema importância que vou falar no próximo artigo: “A influência do cronograma no orçamento de uma obra".


Para que você não cometa esse tipo de erro grave, que é perder o controle da sua obra, vou te dar algumas dicas de como fazer pode se organizar para dominar essa importante tarefa.


Inicialmente, devemos sempre detalhar os principais serviços do cronograma (caminho crítico ou linha crítica). Crie cronogramas separados, menores, de curta duração.


Veja bem, é muito mais fácil se organizar para cumprir o cronograma de um mês, uma semana, do que de 1 ano, concorda?


Então, a melhor forma de fazer essa divisão de etapas, é utilizando algumas técnicas de PMI (Project Management Institute). Separe cada etapa principal em um cronograma específico e coloque datas em TODAS as finalizações dos serviços. Exemplo: Estrutura – Faça um mapa da estrutura da obra e coloque as datas de concretagem de todos os pilares, vigas e lajes.


Feito essa separação, vamos analisar estes mini cronogramas. Comece a pensar de tal forma: “Para essa etapa iniciar, qual etapa tem que estar finalizada?". Pense com a seguinte analogia: “Vou colocar fogo nesta fogueira, para isso, do que eu irei precisar?". Se você pensou: fósforo, lenha, madeira, álcool, etc., você acertou!


É assim que nos preparamos para encarar cada etapa de uma obra. Ainda utilizando o exemplo da fogueira, vamos dimensionar qual a quantidade de lenha precisamos para colocar o fogo que queremos nesta fogueira. A seguinte analogia se refere à fogueira como o serviço a ser executada e a lenha, a mão-de-obra necessária.


A melhor forma de dimensionar uma etapa e controla-la para que esta não fuja de controle, é fazer o dimensionamento da equipe necessária para a conclusão da mesma. Isso é de extrema importância em todo tipo de serviço que se repete. Em obras verticais( minha especialidade), praticamente todos os serviços se repetem em todos os pavimentos tipo. Isso nos dá uma grande bagagem ao longo do tempo, para analisar futuros cronogramas, se iremos ou não conseguir cumpri-los com as equipes que temos disponível.


O mais interessante de tudo isso, é que antecipando este problema, você pode correr atrás da solução, para não atrasar etapas. Lembrem-se sempre que tempo é dinheiro. Quanto custa um ou dois meses de atraso na entrega da sua obra para os clientes compradores? Além de possíveis problemas jurídicos, sua empresa provavelmente ficará bastante “queimada" no mercado. Quando falamos de profissionais autônomos ou empresas prestadoras de serviços, este assunto é ainda mais delicado. Nenhum contratante gosta de atrasos e provavelmente você poderá ser penalizado de alguma forma.


Vou citar um exemplo de serviço, para embasar a analogia com a lenha: Supnhamos que temos uma equipe de carpintaria que precisa bater as formas de uma laje de 500 m² em 4 dias, tendo como base a produção de 10 m² por dia por carpinteiro. Pelas suas contas, você calcula que precisa ter no mínimo uma equipe de 13 carpinteiros para cumprir o prazo. Essa conta é importante e é bem simples de fazer, mas também existe uma chance de mais de 70% de que mesmo assim você não cumpra os 500 m² de laje em 4 dias.


Porque?

Você já trabalhou na construção civil? A improdutividade é a característica mais marcante do nosso setor. Ao longo do tempo, eu consegui calcular médias diferentes para cada período da semana, como por exemplo, segunda-feira (pior dia da semana em termos de produtividade, quarta-feira (melhor dia) e sexta-feira (segundo pior dia). O funcionário quando está desanimado, não está nem aí pro seu cronograma meu amigo.

Funcionário ou empreiteiro que não ganham dinheiro custam caro!


Percebem que o controle de cronograma envolve questões até de cunho cultural no nosso país? O que você me diria sobre os funcionários que faltam na segunda-feira ou nas vésperas de um feriado?


Tudo isso tem que ser levado em consideração no seu planejamento. Se você calculou que precisa de 13 carpinteiros, escale 16! O serviço ficará pronto em menos tempo, o que irá gerar um boa “sensação" de otimismo e produtividade na sua equipe. Você só tem a ganhar com tudo.


Seguindo esta programação e fazendo a “escalação" das principais atividades do seu cronograma (o seu caminho crítico), existe uma grande chance que você, de fato, consiga cumprir com as datas de entregas do seus serviços.


Este artigo já ficou um pouco extenso, pretendo falar mais à respeito nos próximos artigos que virão nas próximas semanas. Vamos comemorar o mês do trabalho somente com artigos em relação a cronograma, orçamento e produtividade aqui no Construtor de Talento? Desafio você a me fazer perguntas para selecionarmos e publicarmos aqui no blog as respostas e exemplos.

Uma boa semana a todos!

Obs: Se interessou pelas dicas deste artigo? Eu abri recentemente uma turma para o curso de Gerenciamento de Edificações em tempos de crise , no qual eu destrincho passo a passo os detalhes para a execução de uma obra perfeita, do início ao fim, economizando no orçamento e entregando a obra antes do prazo. Clique aqui para se inscrever!


Um abraço.
Wyllian Capucci